Um personagem que jamais poderia falar mal de qualquer outro político. O responsável por várias guerras e pelo extermínio de milhares de inocentes. Essa pessoa critica a política do Brasil e afirma: “é uma baixaria completa, nunca vi nada igual na vida”.

Sem papas na língua, e agora beirando os 100 anos de idade, Sheev Palpatine passou boa parte da vida ocultando o mal que trazia dentro de si. Durante anos foi um recatado membro do Congresso, representando sua terra natal de Naboo. Mas isso não impediu de dar um golpe que posteriormente levaria a várias guerras entre povos que não reconheciam seu governo.

Nossa reportagem obteve, com exclusividade, 15 minutos para falar com um dos genocidas mais temidos do mundo.

TICs.TAXi: Sr Palpatine, boa tarde, obrigado por nos conceder a entrevista. Gostaríamos de lhe perguntar sobre nosso país. O Sr. conhece o Brasil?

Sheev Palpatine: Sim, vejo os noticiários, tem quase 60 mil homicídios por ano na sua terra. Um horror. Nunca estive lá mas acho que teria medo.

TT: Não é tão ruím assim.

SP: Ata. Mas parece – pela imprensa.

TT: Diga uma coisa, quando o Sr. fazia política, havia tanta corrupção quanto no Brasil hoje?

SP: Não nunca vi nada igual. O Brasil parece um filme de tão surreal.

TT: Mas tem países piores.

SP: A sim, na Síria acho que tem mais mortes e menos praias. Quando eu fui imperador também bombardeei um paiseco lá, não lembro o nome.

TT: Câmeras registraram quando o Sr. assassinou um dos guardas reais de seu país com um golpe de espada, e depois o jogou num poço para que seu corpo não fosse encontrado. Isso não lhe traz remorso tantos anos depois?

SP: De jeito nenhum. Aquele cabeludo mereceu. E isso acontece lá no seu país também. Me lembro de um tal de Tim Lopes que foi morto com uma espada.

TT: O cabeludo a que se refere era um instrutor da guarda real e era muito querido. E quando o caso Tim Lopes aconteceu no Brasil gerou muita revolta.

SP: Que se dane. Cabeludo atrevido. E você tome cuidado com suas perguntas.

TT: Desculpe-nos. Que conselho o Sr. daria ao Brasil?

SP: Conselho nenhum. O país já se associou ao lado negro da força, é o suficiente para tudo dar muito certo. [RISADAS]

TT: O que o Sr. quer dizer com “associar-se ao lado negro da força”?

SP: Vocês entenderão muito em breve.

Neste momento o criminoso decide encerrar a entrevista. Ainda tentamos fazer-lhe mais uma pergunta, mas foi irredutível e pediu que partíssemos já.

 

— —

Foto: Fair Use / Via Wikipedia

 

Imagem em Destaque