Como é tratada a segurança da informação nos hospitais brasileiros?

A pergunta surge após ter visto esta reportagem, onde é revelado que apenas no primeiro semestre de 2015 34% de todas as informações de pacientes de hospitais nos Estados Unidos foram vazadas. São mais de 84 milhões de fichas médicas expostas ao público – uma verdadeira calamidade. O levantamento foi realizado pela empresa Germalto.

( O texto completo pode ser acessado aqui. [PDF] )

A tendência mais preocupante é o fato de boa parte dos ataques ter origem em organizações patrocinadas por poderes estatais estrangeiros. Ou seja, a intrusão não é executada por adolescentes desocupados, mas sim por instituições altamente sofisticadas, ligadas a governos estrangeiros. Esse fato torna a brecha de privacidade ainda mais grave: não é apenas uma violação do sigilo médico, mas é também uma ofensa à soberania do país.

Fica, então, a pergunta: se nos Estados Unidos 34% das fichas médicas foram expostas, como será que anda a situação no Brasil.

Imagem do CD cortesia Pixabay

Imagem em Destaque