Com a tranquilidade trazida aos mercados pela organização da suruba em Brasília, investigadores agora mudam o foco da operação Lava Jato para tentar descobrir se o ex-presidente Lula teria mudado de nome de 40 anos para cá.

A mudança no foco das investigações ocorre no momento em que a Polícia Federal descobre que um dos suspeitos de intermediar alguns dos principais esquemas de corrupção na Petrobrás opera dessa forma há mais de 30 anos.

“O Dr. Dallagnol já apontou Lula como o chefe supremo do esquema. Dessa forma agora precisamos investigar como o investigado fez isso, visto que há 30 anos atrás o Lula estava preso e não haviam telefones celulares, então estamos averiguando para saber como Lula teria comandado o roubo à Petrobrás de dentro do DOPS. Já temos equipes também agindo em Pernambuco para investigar se Lula teria participado do esquema da Petrobrás já quando adolescente em Garanhuns.”

A informação é do delegado Martinho Dávilla, que participa de uma roda de choro na Rua São João todas as quintas às 19hs e afirmou a um dos repórteres cachaceiros do TICS.TAXI que ele é realmente delegado. “Sou delegado poha!”, teria dito.

Jornalistas super comprometidos com a verdade, assim como nós do TICS.TAXI, também mostraram-se surpresos com o fato do esquema da Petrobras funcionar há décadas.

Gerson Camarotti, experiente jornalista da Globo, afirma em sua coluna de hoje:

“Muita gente em Brasília ficou surpresa pelo fato de só agora Jorge Luz ter virado alvo direto da Lava Jato. Isso porque quem conhece dos esquemas de corrupção da Petrobras garante que ele é peça fundamental há pelo menos 3 décadas.”

Segundo as investigações do Dr. Dallagnol, ainda persiste uma enorme convicção de que Lula é o chefe do esquema, então a nova linha de investigação apontada por especialistas é averiguar denúncias anônimas de que Lula na verdade seria uma espécie de highlander que vem mudando de nome desde 1500 para assaltar os cofres públicos do Brasil desde o Império.

“Essa é a linha mais provável no momento”, afirma um procurador que não quis se identificar no mesmo boteco onde a informação acima foi obtida.

Outra linha de investigação, que de acordo com boatos oriundos da boca miúda da cidade velha já teria sido descartada na operação Lava Jato, é que talvez exista a possibilidade, remota e já descartada pelos investigadores, de que tucanos e PMDBistas possam ter chefiado o esquema da Petrobrás e não Lula. Porém, essa idéia já descartada e sem possibilidade de ser verdade, de acordo com o delegado Martinho Dávilla, aquele que participa de uma roda de choro na Rua São João todas as quintas, já foi descartada e não tem possibilidade de ser verdade, totalmente imposssível e sem lógica, com zero chances e tendo sido totalmente descartada é simplesmente algo fora da realidade.

“A idéia de que a chefia do esquema seja dessa gente é ridícula, absolutamente nada aponta para essa direção. As 7853 citações a membros de outros partidos são só especulações. Nossa principal investigada no momento é a ex-presidente Dilma Rousseff que não foi citada e justamente por isso a consideramos suspeita porque afinal como pode alguém não ser citado e delatado a esta altura? Muito suspeito. Muito suspeito.”, concluiu o veterano delegado, enquanto enxugava mais um traçado forte com Domecq.

— —

Foto: Kremlin, Presidência da Rússia

Imagem em Destaque