Em Agosto de 2010, Luke Mandle tirou uma foto de seu filho e, ao transferí-la para o computador, notou algo errado. Algo muito errado.

Os olhos do menino estavam abertos na reflexão de um espelho, mas fechados na sua pose para a câmera. Então ele decidiu publicar a foto em um fórum, pedindo ajuda aos demais membros para obter uma explicação para esse fenômeno.

Imediatamente a imagem tornou-se viral, e foi espalhada em diversos sites da Internet. Muitos tinham certeza tratar-se de um fantasma que se escondia no espelho e que foi flagrado e revelado na foto. Na velocidade das redes sociais, a foto tornou-se um dos ítens mais compartilhados e discutidos. O consenso estava formado: a imagem contida na foto era algo além da nossa realidade.

Porém, a explicação do que realmente aconteceu ali é bem menos fantasiosa.

As Câmeras Tradicionais

Ao apertar o botão acionador, as câmeras tradicionais, com filme, abriam uma espécie de cortina. A imagem à frente da câmera era então projetada rapidamente em um anteparo de 35mm onde havia exatamente um quadro de filme alinhado, com ambos os lados isolados para não queimar o próximo quadro. Essa breve exposição alterava a química do filme, formando a imagem. Todo esse processo ocorre de uma só vez, e a imagem é totalmente capturada ao mesmo tempo, na química do filme.

Câmeras Digitais

Com as câmeras digitais o processo é diferente.

Ao clicar para tirar a foto em uma câmera digital, um algoritmo é disparado, dando início a um procedimento ao mesmo tempo mecânico e computacional. A parte mecânica da câmera digital tem função parecida à da câmera de filme, abrir um saturador, expor a imagem focalizada e assim por diante. Porém a parte computacional não existe nas câmeras de filmes tradicionais.

O que acontece quando a imagem é exposta ao anteparo da câmera digital é uma varredura da imagem ali projetada. O algoritmo varre o sensor de um lado para o outro, e de cima para baixo (ou o inverso, tanto faz) registrando cada pixel na memória. Quando termina o processo, o conteúdo da memória é processado e então transferido para o cartão de memória.

Achamos que a imagem é toda capturada ao mesmo tempo, mas não é. Existe um lag entre o início do procedimento e a gravação no cartão de memória. Nas câmeras de smartphones e aparelhos com processadores multitarefas, um pequeno retardo na varredura pode mudar o cenário da foto.

O “Mistério” Desvendado

Foi o que aconteceu com o filho de Luke Mandle em 2010.

Quando a câmera iniciou a varredura, seu filho piscou os olhos. Quando a varredura chegou ao espelho, ele já havia reaberto.

E assim criou-se uma das fotos mais polêmicas da WWW – tudo culpa da velocidade de processamento da câmera digital.

É possível testar esse efeito com outros objetos de rápida movimentação. Por exemplo, as hélices de aviões aparecem totalmente distorcidas em fotos e filmagens digitais.

—–

Foto: Copyright (c) 2010 Luke Mandle

Imagem em Destaque