Mais de 70% da Terra é rodeada por água salgada. Mas se você, por acaso, pousar em uma ilha deserta, rodeada de água cristalina, provavelmente morrerá de sede. Por algum motivo, a evolução não quis que fossemos capazes de beber água salgada para matar a sede. Na verdade, a água do mar é altamente nociva ao nosso organismo.

Irônicamente, o planeta Terra é altamente hostil à vida humana. O principal fluido necessário à vida é abundante apenas em uma forma que é tóxica paraó ns. Somos indefesos em relação à maioria dos animais predadores e somos fisicamente fracos quando comparados com qualquer mamífero de nosso porte.

No entanto algo garantiu nossa sobrevivência e nossa capacidade de prevalescer sobre as outras espécies: nosso potencial científico. A nossa capacidade de desenvolver máquinas, inventos, idiomas sofisticados para comunicação, e até mesmo as armas, é o que nos diferencia dos demais animais.

Mas há uma fronteira que o ser humano ainda não conquistou com eficiência: a dessalinização da água do mar!

Estamos rodeados de água, porém não podemos consumí-la na forma em que está. As plantas de dessalinização são caríssimas, e o process de distilação da água consome quantidades absurdas de energia.

Porém, pelas mãos de um jovem cientista que ainda estuda para o vestibular, tudo isso parece ter mudado.

Eureka!

O jovem Chaitanya Karamchedu, que gosta de ser chamado apenas de Chai, teve um insight genial.

Segundo ele, um dia pesquisando no laboratório da escola ele observou que a água salgada não se encontra totalmente saturada de sal. Ou seja, há moléculas de água ali que não precisam ser dessalinizadas, são água potável!

Todos os processos de dessalinização se concentram em separar as moléculas de H2O que se encontram ligadas ao Cloreto de Sódio, ou seja, água salgada. Porém ninguem presta atenção na água doce que existe DENTRO da água salgada.

Segundo pesquisadores do MIT e de outras universidades de renome, a idéia é trivial, estava bem debaixo de nosso nariz esse tempo todo, e ninguém abordou o problema dessa forma até hoje.

Em vez de dessalinizar a água, filtremos da água salgada as moléculas de água doce! É simples assim.

Foi então desenvolvida uma esponja que atrai as moléculas de água salgada e deixa passar a água doce.

Chai recebeu um prêmio de U$ 10 mil dólares da US Agency for International Global Development, parte da feira de tecnologia da Intel (a famosa fabricante de chips para computadores).

Conclusão

Um rapaz pré-universitário pensou fora da caixa e abordou o problema de dessalinização da água de uma forma diferente de todos os cientistas que se debruçavam sobre o problema durante décadas, chegando a uma descoberta genial.

Para dessalinizar a água, basta focar na filtragem da água doce que já existe na água salgada. O insight que permitu essa nova técnica é simples: Chai observou que a água salgada do mar não é saturada com sal, ou seja, há moléculas de água doce na água salgada. E os primeiros testes realizados trouxeram resultados animadores: até 90% da água salgada é formada porá gua doce!

Será que ninguém se perguntou como os coqueiros plantados na areia da praia eram capazes de extrair tanta água doce sem possuirem uma usina de dessalinização dentro deles?

A natureza escondia a chave para nossa sobrevivência bem ali, depois da areia da praia.

 

Foto: Copyright 2017 KPTV-KPDX Broadcasting Corporation.  All rights reserved.

Com informações da KPTV

Imagem em Destaque