Segundo a coluna de hoje de Vera Magalhães, o Congresso prepara um projeto de lei para praticamente acabar com as delações premiadas. Sem citar quem seria o autor da idéia (e precisa?), a jornalista afirma que o projeto impediria aquele indicado como chefe da organização criminosa de fazer delação premiada:

DELAÇÕES

Congresso pode estabelecer limite para colaborações

Entre as ideias em gestação no Congresso para mudar a delação premiada, está uma que impede chefes de organizações criminosas de se beneficiar do instituto. Pelo critério, Marcelo Odebrecht, Sérgio Cabral e outros teriam de cumprir pena integral na Lava Jato.

Na prática isso acaba com as delações premiadas, pois os subordinados, sabendo que o chefe não falará, tampouco irão colaborar. O que o Congresso quer é gerar um efeito dominó, de modo a acabar com a eficácia das delações premiadas de cima para baixo.

Como se sabe que a classe política faz parte da cúpula dos esquemas, essa medida também desmotivaria o MP de pedir a prisão dos líderes dos esquema criminosos. Assim os agentes da lei perseguiriam apenas os subordinados, sabendo que os chefes não poderiam colaborar com a Justiça em troca de uma eventual redução de sua pena.

Caso a informação da jornalista se confirme, seria uma verdadeira lástima – porém não surpreenderia a ninguém. Mais uma vez o Congresso estaria conspirando, em plena luz do dia, para acabar com a Lava Jato.

O povo precisa voltar às ruas.

Foto: Tânia Rêgo/Agência BrasilAgência Brasil

Imagem em Destaque