Resumo da ópera: com a decisão de aprovar Alexandre de Moraes para o STF, o ex (e em breve ex-ex) deputado Eduardo Cunha emplacou seu advogado em uma cadeira no Supremo Tribunal Federal.

Para finalizar a Lava Jato basta agora retardar o processo no STF a ponto das penas prescreverem, esvaziando a força tarefa de Curitiba à qual já renunciaram alguns integrantes originais. Salva-se assim a classe política. Segundo relatos, o clima já é de fim de festa no Paraná. Basta que o revisor da Lava Jato peça para revisar o processo para familiarizar-se com tudo, afinal são 15 mil páginas e 1.5 milhão de processos que aguardam na fila do STF, será preciso um bom tempo para analisar tudo, o suficiente para Temer concluir o mandato e para a maioria dos reus curtirem seus bilhões de reais.

Como disse o sábio Romero Jucá, é a suruba do STF. (Aliás ele falou um descalabro desses e ficou por isso mesmo.)

Sérgio Moro deve receber uma promoção para um tribunal superior para que se torne impedido de julgar novamente os casos oriundos da primeira instância. Assim é removido tacitamente da Lava Jato usando a velha tática de “cair para cima”. O mesmo ocorreu com o juiz Fausto de Sanctis após a operação Satiagraha – operação que foi abafada pois tinha um poder destrutivo tal qual o da Lava Jato.

E o procurador Deltan Dallagnol parece contente recebendo comendas da maçonaria e expondo suas idéias para platéias religiosas (que por vezes esvaziam o coliseu quando ele começa a falar). Com um contracheque que, por vezes, chega aos R$ 67 mil líquidos, Dallagnol não tem do que reclamar.

Ao que tudo indica a Lava Jato teve um happy ending para todos, inclusive para o PT, com Dilma mantendo seus direitos políticos e candidatíssima a senadora ou deputada em 2018, e Lula certamente fazendo barulho na corrida presidencial.

Quem pagou a conta? Você. Basta olhar o preço da gasolina na bomba e comparar com o preço em dólar nos Estados Unidos. O dólar caiu 30 a 40% mas o preço dos produtos importados não caíram, ou seja, você está pagando caríssimo por gasolina, computadores, e assim por diante e em breve, como disse Henrique Meirelles, a recessão acabará (traduzindo: você terá pagado a conta toda). A bolsa de valores não para de subir, os bancos só enriquecem, e o mercado financeiro manda nos três poderes.

Pelo menos ficou claro que o Brasil não tem democracia, eleições ou um sistema político minimamente funcional. Basta o mercado financeiro funcionar que o resto não interessa. Mas se a bolsa de valores cair, o governo Temer cai junto.

De resto ninguém está nem aí. Agora vem o carnaval e o povo só precisa do pão e do circo que já estão devidamente agendados para a ressaca do carnaval quando começa o calendário de saques da esmola do FGTS.

Este cenário só mudará com uma injeção de ânimo do povo. Se não voltarem às ruas, a Lava Jato já era.

De nosso lado, de volta às palhaçadas, que rir é o melhor remédio.

—-

Sobre o novo Ministro do STF:

 

Foto: Rose Brasil/ABr (imagem 75588) – Agência Brasil

Imagem em Destaque