Santo Estevão, Bahia – Após o Governo Federal, para todos os fins práticos, tornar impossível a compra de armas de fogo por parte de cidadãos honestos, o Governo do Distrito Federal proibir as armas de brinquedo, e o Governo do Rio de Janeiro proibir as facas, analistas afirmam que é chegada a hora de proibir, também, as cobras.

Segundo especialistas consultados, essa modalidade de crime vem ganhando cada vez mais adeptos dentro da carreira criminal. Só na Bahia, este ano, foram 117.345 assaltos cometidos utilizando cobras peçonhentas como arma do crime.

O headhunter Aluísio Pintto explica.

“A carreira criminal é hoje a mais promissora do Brasil. Temos vagas em diversos órgãos públicos e empresas privadas. Segundo pesquisas recentes, o crime poderá suplantar os concursos públicos em até 5 anos ao prosseguirmos no ritmo atual. É a carreira do futuro.”, concluiu efusivamente.

Quando foi explicado que a matéria trata do uso de animais peçonhentos para intimidar vítimas durante os atos criminosos, o headhunter completou:

“Á sim, o uso de cobras é o estado da arte na carreira criminal. É indetectável em portas giratórias de bancos e forma um vínculo muito bonito entre o profissional do crime e o animal. Forma-se uma parceria. As cobras são bem recompensadas por seu esforço.”

Projeto de Proibição já transita no Congresso

Um projeto de lei criado pelo assessor jurídico do analista legislativo Gerson Pizzonia, ligado à bancada que assessora o comitê de apoio à comissão de assessoria do deputado Ademir Kruzeis (Sem partido – AC) propõe a proibição completa e total de tudo.

“Estamos realizando um trabalho reativo. Reagindo a absurdos como assaltos executados usando animais peçonhentos como arma. Acreditamos que proibindo tudo vamos conseguir combater mais essa mazela que afeta o povo brasileiro”, afirmou o parlamentar bem humorado, no famoso cafezinho da Câmara.

Proibição pode ser Inconstitucional

Juristas consultados pelo Dinheiro.Money afirmam que a proibição do porte de animais peçonhentos pode gerar ações diretas de inconstitucionalidade no STF.

“O profissional da atividade criminosa poderá argumentar que o animal peçonhento é de sua estimação.”, afirma o jurista Renato Buzzatti, analista chefe da assessoria tributária do vice-presidente do comitê de organização de mobilização de assessorias parlamentares da OAB.

Autoridades Respondem

Assessores de parlamentares ligados a pessoas próximas a contatos conhecidos de fontes do Ministro da Justiça afirmam que o governo poderá criar uma força tarefa que terá como meta reunir a base aliada e consultar líderes de movimentos sobre a possibilidade de agendar uma reunião para formar comissão responsável por consultar a sociedade com o propósito de estudar a viabilidade de um projeto que possa resultar no agendamento de uma sessão na qual possa ser debatida a idéia de reunir especialistas no assunto para conversar sobre o problema do emprego de animais em crimes violentos.

De acordo com assessores de membros da assessoria de apoio a auxiliares de parlamentares da base aliada, a idéia foi ventilada durante um simpósio no qual foi acordado planejar e idealizar uma proposta de reunião com a finalidade de avaliar a data e horário de um eventual próximo encontro no qual seja possível discutir e ampliar a visão sobre o tema.

Especialistas Recomendam Calma

Foto: Andréa Farias / Wikipedia

É importante manter a calma durante assaltos onde são empregados animais peçonhentos. Foto: Andréa Farias / Wikipedia

Analistas especializados em psicologia marginal afirmam que a vítima de um assalto onde é empregado animal peçonhento deva, primeiramente, preocupar-se com o bem estar do animal.

“A atividade criminosa gera enorme stress no animal que é usado como arma. Deve-se poupar o bichinho dessa tensão, obedecendo o profissional criminoso em todas as etapas de seu trabalho”, afirma Dorotéia Bismarck da Silva, assessora da assessoria de prestação de auxílio a auxiliares terceirizados da Secretaria de Direitos Humanos da Universidade Federal de Piramutaba, interior do Amazonas.

Questionada sobre o bem estar do profissional do crime, também foi bastante enfática na necessidade do emprego do diálogo.

“Devemos antes de mais nada buscar compreender a motivação do profissional que ingressou na carreira do crime.”, afirma. “O diálogo é muito importante antes, durante e após eventuais assaltos”, completou.

Detran fará blitz educativas

Fontes ligadas à Segurança Pública afirmam que o Detran estará atento ao uso e consumo de bebidas alcoólicas próximos a locais onde frequentemente ocorrem assaltos utilizando animais peçonhentos.

O objetivo é conscientizar a população dos perigos da combinação entre multas e sua conta bancária.

Foto em destaque: Russell Lee –  National Archives and Records Administration via Wikipedia

Este artigo faz parte do acervo do extinto site cag%#$.net e não é necessariamente verídico, honesto, ético, factual ou comprometido com a verdade. Talvez você não devesse levá-lo muito a sério. Assim como bastante coisa que você leu nos principais meios de comunicação do Brasil, tudo o que você leu acima pode, ou não, ter sido inventado por nossos hamsters adestrados. O site cag%#$.net foi incorporado ao TICS.TAXI em 2016.

Imagem em Destaque