CIA e NSA. Duas siglas que, quando aparecem na mesma sentença, chamam a atenção de qualquer cidadão. Há, porém uma nova combinação, bastante inusitada : a relação entre a CIA, NSA e … Pokemon Go!

É o jogo que não para de gerar manchetes desde que foi lançado há algumas semanas. Seja movimentando bilhões de U$ nas bolsas de valores, levando caçadores de Pokemons à cena de homicídio ou sendo isca usada por assaltantes, Pokemon Go já deixou sua marca no mundo da tecnologia.

Eis que agora surge um verdadeiro roteiro de James Bond ligado ao jogo.

Em resumo : o investidor John Hanke, que trabalhou para o governo americano, fundou a Keyhole Inc que teve investimentos da In-Q-Tel, que pertence à CIA, e que trabalha com a National Geospatial Intelligence Agency que fornece dados de geoposicionamento para NSA. (Dados de geoposicionamento como aqueles que o Pokemon Go envia em tempo real quando usuários saem voluntariamente filmando as ruas com o GPS do smartphone ligado.)

Hanke é o dono da Niantic, fabricante do jogo Pokemon Go em parceria com a Nintendo.

Todos os jogos da Niantic giram em torno de realidade aumentada, coletando a localização e imagens de locais. Como todos sabem, o jogo Pokemon Go envolve milhões de pessoas filmando tudo pelas ruas por onde se capturam os Pokemons, com informação do GPS e imagens e sons em tempo real. Um sonho para coleta de inteligência! Milhões de usuários tornaram-se câmeras voluntárias, filmando tudo, registrando rostos, sons, vozes e geoposicionamento em tempo real.

E as permissões do joguinho no telefone são praticamente irrestritas. O Pokemon Go tem acesso a tudo que há no seu smartphone, sem restrições. Ao instalá-lo o usuário deve concordar com todas essas permissões.

No mínimo, essa teoria da conspiração dá um bom roteiro para Hollywood.

Imagem em Destaque